quinta-feira, 4 de maio de 2017

Curta o curto LXVIII

Eu vi alegrias em telas...
Elos que iam, enquanto eu vinha...
A falta de necessidade (sua) e o (meu) excesso de amor me obrigam a desligar(me)...

10 comentários:

  1. Lindo poema curto,mas fala muito! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Olá escritora,
    Lindo o seu sentir
    Beijos com carinho
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Linda Lua!
      Muito obrigada!

      Beijos no coração! =)

      Excluir
  3. Não desligue, mantenha-se em sintonia,
    escreva, ame e oiça a voz da liberdade
    para mais alegrar os leitores em poesia
    escreva o mais lindo poema da felicidade!

    Tenha uma boa tarde amiga Nadine, um beijo,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Edu!
      Sua visita poética muito me alegra!
      Obrigada! Tentarei... ;-)

      Beijos! =)

      Excluir
  4. Cara amiga Nadine, diz-se que nos pequenos fracos encontram-se os raros perfumes.
    Um abraço. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dilmar!
      Sim, e venenos perigosos (haha)...
      Muito obrigada!

      Beijos, boa noite! =)

      Excluir
  5. Simples, direto e com muito sentir. Gosto desse tipo de texto. Às vezes precisamos desligar para se reinventar. Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!
      Muito obrigada!
      ... Às vezes dar ré e inventar!

      Beijos! =)

      Excluir

... Falta a sua pitada!...