segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Recesso por excessos...

domingo, 23 de junho de 2013

Coffee Break IX

O café tímido em um copo de requeijão requer um pouco de fé...
Requentemos, então...

sábado, 25 de maio de 2013

Curta o curto LI

Por que será que às vezes parece que o amor não aparece?
Não seria algo que deveria estar sempre "ali"?
O problema é de advérbio!...
... Há dias em que o amado não se dá conta... e o cálculo do um faz o "ali" não estar "aqui"....

domingo, 19 de maio de 2013

6º BOOKCROSSING BLOGUEIRO

Ah, que saudades!...
Eu leio frequentemente os blogs que sigo, mas não tenho conseguido comentar!...

E estou devendo notícias do 6º BookCrossing! 
Para quem perdeu, clique aqui!

Deixei o livro escolhido em uma faculdade:


Ok, o livro não foi ESCOLHIDO, ESCOLHIDOOOO... Eu o vi nessas máquinas disponíveis no metrô ("pague quanto acha que vale") e gostei muito da ideia!... Continuei a associação: "abandone um livro" e "leia para uma criança"!... Trata-se de um livro com poemas para crianças pequenas e apresenta imagens para colorir:


Achei a ideia despretensiosa...  de maneira lúdica e com rimas simples acredito SIM na possibilidade de um amor à literatura - a partir de um contato inicial entre a criança e o livro ;)

Desejo que o livro cumpra sua missão e que vocês me aguardem... eu volto!...

Beijos,
Nadine =)


segunda-feira, 22 de abril de 2013

De Buenos Aires a Montevidéu

(Floralis Genérica e Monumento al Ahogado - por Nadine Granad)


E a estrada é curta, para um sentir longo...
E o sentimento é pouco, para cada estadia...
E o estar em si é estar em ditongo...
E os encontros das mãos são mais que companhia...

Bueno! A Casa Rosa amarelou,
Suas paredes vão de ocre à gema viva.
O vestido de Evita também amarelou,
Conservando-se perene a diva!...

Em Caminito caminhou -
- Simpatia, tango e riso.
A Floralis floresceu
- Beleza de aço, acho, inciso.

E a estrada é curta, para um sentir longo...
E o sentimento é pouco, para cada estadia...
E o estar em si é estar em ditongo...
E os encontros das mãos são mais que companhia...

Colônia é pequena de braços gigantes,
Suspiros alimentam suas ruelas.
Punta é grande com dedos instigantes,
E Vilaró nos presenteia com milhares de janelas!...

Montevidéu, destino final - adiós,
Com um bom mate fraterno,
Nas lindas ramblas  - después,
Lembranças quentes de uma noite de inverno!...

E a estrada é curta, para o sentir longo...
E o sentimento é pouco, para a estadia...
E o estar em si é estar como ditongo...
E os encontros das mãos é sempre companhia...

*Um pouco das férias!... ;)

domingo, 14 de abril de 2013

6º BOOKCROSSING BLOGUEIRO



Apesar de toda correria e estresse (sim, ainda!rs) que venho enfrentando, certamente participarei do 6º BookCrossing Blogueiro!!!

Vamos?! Acontecerá de 16 a 23 de abril!...

Segue o link do blog iluminado da Luma - que sempre incentiva a leitura e nos oferece pitadas analgésicas com suas reflexivas postagens: http://luzdeluma.blogspot.com.br/2013/03/vem-ai-o-6-bookcrossing-blogueiro.html

Beijos =)

OBS: Em breve divulgarei o livro que libertarei ;)

quarta-feira, 27 de março de 2013

Retorno...

Voltei!!! Sobrevivi ao medo de avião, rs...
Retorno... Lições acumuladas, ansiedade (estou bem deprimida com meu trabalho), mas também com o coração pulando como milho prestes a estourar ;)
Em breve, fotos e novidades!...


CONGRESSO INTERNACIONAL DO MEDO
Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que estereliza os abraços,
não cantaremos o ódio, porque este não existe,
existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte.
Depois morreremos de medo
e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas.


Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 12 de março de 2013

AVISO - Férias!!!

Depois de dois anos ininterruptos... consegui férias!!!

Estarei, por alguns dias, km de distância =(

Sentirei saudades do blog e de todos os meus amigos!...

Obrigada a todos e nos veremos em breve ;)


OBS: Viajo sábado cedinho... tenho medo de avião (nunca saí de São Paulo, rs).

quinta-feira, 7 de março de 2013

Curta o curto L

A pior ignorância é ignorar...
... E ser ignorado deveria ser punição para míopes...
Porque o  pior cego não é aquele que não quer ver,
Mas o míope que diz ver o que ninguém mais vê!...

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Curta o curto XLIX

Eu gosto de admirar a chuva,
Cada gotícula brilha a seu modo,
...Cada brilho tem a sua gotícula...
E "ele" tem mesmo cor de papelão molhado!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Da nãomãe e do tãomãe da mãe


A mãe diz que não tem preferência,
Mas não dorme pelo mais frágil...
Ela é A mãe dos filhos e mãe da mãe,
Mas desgosta das outras mães,
Porque mãe que é mãe, é A mãe...

A mãe briga quando o filho adoece,
A gripe é nossa falta de diligência!...
E por mais que sejamos ágeis,
Ela é A mãe que antecede a tudo...

Para ouvir novidades A mãe se oferece,
E para ouvir nossos desabafos - A mãe assiste à TV!...
São receitas de bolo anotadas nas capas dos CDs ,
Que não podem aborrecer mais do que toalha molhada na cama...

A mãe tem o tamanho que tem e sempre é pouco,
Porque tem muito nas mãenias, muito nas mãenhas,
E as manhãs dA mãe têm cheiro de café grande,
Grande para caber tantas gotas de adoçante!...

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Se eu soubesse...


(Chico Buarque)


"Ah, se eu soubesse não andava na rua
Perigos não corria
Não tinha amigos, não bebia, já não ria à toa
Não ia enfim
Cruzar contigo jamais

Ah, se eu pudesse te diria, na boa
Não sou mais uma das tais
Não vivo com a cabeça na lua
Nem cantarei: eu te amo demais
Casava com outro, se fosse capaz

Mas acontece que eu saí por aí
E aí, larari, lairiri (...)"

 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Se eu soubesse não arriscaria versos tímidos,
Nem escutaria Vinicius de Moraes.
Não abriria as mágoas para não ouvir:
- O casamento é sua fuga!...
E eu posso dizer que é verdade!...
Pensei que quisesses andar ombro a ombro,
E mostra-me que morar sozinha que é a minha necessidade!
Mas acontece que somos escolhidos
(E talvez nos escolhêssemos)
Sem  devoluções...
Porque o desejo e o querer etiquetam
E não tem nota fiscal para os que estão perdidos...
E para os que querem se perder!...
Não sei onde estou... e você?

  NADINE GRANAD


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Coffee Break VIII

O bom-bocado com café foi corretivo aguado: apagou por instantes um bocado de trabalho!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Ele não-me-quer...

(Foto: Nadine Granad)

E não foi a pétala quem disse...
A folha!... E esta gracejou: bem-me-quer...
Mas ele, ele não quer...
Blasfêmia acéfala contra a poesia da flor,
E insulta toda poesia já proferida...
Não quer corpos entrelaçados,
Sem suor salgado no peito que sopra...
Prefere jogar sozinho!...

O beijo, o beijo fora esquecido,
Tal como o guarda-chuva...
E chove... e a saliva sobra...

Não-me-quer... E sentir que sobrando,
Sobrando eu me falto!...
Não me basto para mim...

Em cada verso eu morro,
Porque morrer não é escolha
- é minha única opção!...
Esvaindo-se a vida e a esperança,
Aceito meu destino de folha!...

IN-direta 2

Confiança demais já surpreendeu o seguro (sim, ele não morreu idoso!)...

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Curta o curto XLVIII

A esperança é regar para a chegada da flor -
a semente cresce (e não dá para calcular a força de algo tão pequeno),
surgem brotos, folhas e lá no alto,
lá em cima... eis que surge a flor!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

IN-direta 1

Quando eu perder o chão e deixar que as lágrimas corram,
Não deixe a dor passar - aceite o panfleteiro insistente no semáforo -
Abrace-me que eu prefiro o amparo das paredes!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Curta o curto XLVII

O trabalho tem atalho que separa...
E está chegando a hora extra -
- dia a mais que será a menos!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Crise dos 30

Tenho 30 dias para resolver problemas de 365,
30 minutos para aguardar - ônibus, encontros e desencontros,
30 segundos para respirar.
E o que eu fiz?
O que farei?
Os sonhos se desmancham em menos de 30 anos...
E a queda é dura,
Dura uma vida!...

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

melancolHia

E no jardim semeiam-se alegrias triviais,
para colher saudade difusa,
pétalas confusas e sensíveis,
que, murchas, repousam em solo árido...

As lágrimas torrenciais mudam as flores,
que, mudas, já não despetalam,
mas despedaçam o coração do jardineiro!...

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Curta o curto XLVI

Minha opinião "culta" e curta:
Cinquenta tons de cinza...
- É guarda-roupa de desenho animado da década de 1920!