quinta-feira, 29 de junho de 2017

Um poema... várias observações...

Tua saudade, minha solidão...

Aves nas águas trazem cansadas,
Saudades tuas e merecimentos,
Assim como fera nunca domada,
Não controlo ilustres movimentos.

E se alguns nobres pensamentos,
Faz-me a madrugada em angústia,
Compilo versos, cujo intento
É tirar-me da solidão que preexistia...

A nossa história repleta de dureza,
E que o deus do amor aprova,
Permite-nos ver tais belezas
Da dor velha que vem e renova.

Era esta, talvez, minha doce sina
Saber-te saudoso, livre teve
A mão não mais de sua menina,
Sua menina com rédeas leves...


OBSERVAÇÕES:
Estou bem, bem cansada!... Precisava (e terei) férias merecidas!

Obrigada a todas as mensagens de carinho, saibam que os amo porque sou assim: metade amor e a outra também!...

Aos poucos, retomo minhas leituras!

Beijos! =)

segunda-feira, 26 de junho de 2017

AVISO

Boa noite!

Gostaria de agradecer, do fundo do meu coração, todos os recados amorosos que tenho recebido!
Em breve visitarei aos amigos que tanto amo ler e compartilhar meus devaneios!

Beijos a todos!...
=)

terça-feira, 13 de junho de 2017

PAUSA

... Em breve, prometo!

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Curta o curto LXXI

As maçãs de ouro geram guerras, ficarei com as podres...
Adubar a terra árida que por acaso (ou descaso?) deixaste...
As sementes já não produzem cianeto!...

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Uma hora de batalha íntima

Imagem retirada do acervo Getty Images.

Embora meu inimigo não vencesse,
Deixou antes a prévia derrota,
Que na vitória eu me perdesse
E na perda, a esperança remota.
Não consenti uma morte há tempos,
Fiz do amor espada inquieta,
Hoje agonizo, além tormentos,
O toque já não é mais extrema meta.

Então deito em áureo leito,
Onde pensamentos incertos são,
Reavendo estranhos conceitos,
A vitória fulgura só na imaginação.
Estas duras vontades, adversárias
De inquietações, por si mostravam
Que, desde o início haviam várias,
E não partiam quem as alimentavam.

Então derrubo, lança e espada,
Concluo que quem vence, antes sua
E até mesmo ao passar estacada,
Já estava em uma morte crua.
Luto comigo, socorrer-me não queria
Por não causar bem, sei bem que erro
Do coração dado arrependia,
Minhas dores combatia a fogo e ferro!...