sexta-feira, 2 de junho de 2017

Uma hora de batalha íntima

Imagem retirada do acervo Getty Images.

Embora meu inimigo não vencesse,
Deixou antes a prévia derrota,
Que na vitória eu me perdesse
E na perda, a esperança remota.
Não consenti uma morte há tempos,
Fiz do amor espada inquieta,
Hoje agonizo, além tormentos,
O toque já não é mais extrema meta.

Então deito em áureo leito,
Onde pensamentos incertos são,
Reavendo estranhos conceitos,
A vitória fulgura só na imaginação.
Estas duras vontades, adversárias
De inquietações, por si mostravam
Que, desde o início haviam várias,
E não partiam quem as alimentavam.

Então derrubo, lança e espada,
Concluo que quem vence, antes sua
E até mesmo ao passar estacada,
Já estava em uma morte crua.
Luto comigo, socorrer-me não queria
Por não causar bem, sei bem que erro
Do coração dado arrependia,
Minhas dores combatia a fogo e ferro!...

27 comentários:

  1. A fogo e ferro não,
    tenha lá mais calma
    em defesa do coração
    protegida esteja a alma!

    Haja de tudo menos agressividade,
    para a vida ser sempre mais bela
    sem cor, transparente, a felicidade
    vê-se no rosto de quem vive com ela!

    Tenha uma boa tarde cara amiga poetisa Nadine, um beijo,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Edu!

      Em alguns momentos, é preciso mais coragem...
      A guerra não acabou!...

      Beijos! =)

      Excluir
  2. Dentro da Alma sempre existiram batalhas. O Amor sempre as venceu independentemente do tempo que levaram para assumir a vitória.



    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, SOL!

      Sim, tens razão!... O amor e suas vertentes acaba vencendo!

      Beijos! =)

      Excluir
  3. Cara amiga Nadine, eis um poema encorpado.

    Há quem diga que o coração
    é um latifúndio a vergar o peito;
    parceiro de vitórias e derrotas,
    assim é a vida, não tem outro jeito.

    Um abração daqui do sul do Brasil. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dilmar!

      Obrigada pela presença sempre poética!
      Sim, vitórias e derrotas beijam-se!...

      Beijos! =)

      Excluir
  4. Oi Nadine,
    Que digo eu pra você, não entendo a norma culta, pois meu blog é popular; mas deu pra senti uma triste história.
    Estava no seu blog quando toca o telefone, tinha uma brecha no médico fora da minha cidade, cheguei tomei banho e voltei aqui
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!

      Diga sempre o que sentir... és uma Lua linda a iluminar aqui!...

      Beijos no seu coração!
      Lindo fim de semana! =)

      Excluir
  5. Ah!... esse teu coração
    À deriva ao sentimento
    Precisa, em certo momento,
    Seres o mestre ao timão

    Para que a embarcação
    Tenha rumo e seguimento
    Traçado, e veloz ou lento,
    Seu percurso tenha ação.

    Não deixes nunca à deriva
    Teu leme, ou serás cativa
    Ao acaso e inesperado

    Destino. De alma altiva,
    Tome o leme! Firme, ativa
    O teu velame estaiado!

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Laerte!

      Sinto-me lisonjeada!... Lindos versos a enfeitar meu espaço!...
      Muito obrigada!

      Beijos! =)

      Excluir
  6. Uma dura batalha do coração e bela inspiração novamente! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!
      Obrigada!

      Beijos, bom retorno! =)

      Excluir
  7. Ao longo da vida são muitas as batalhas que se travam no nosso coração.
    Lindo poema
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria!

      Muito obrigada!
      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  8. "Fiz do amor espada inquieta"... E o amor vencerá... Um belo poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Graça!

      Obrigada! Sempre é uma honra tê-la aqui!

      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  9. Oiii!! Vi o blog e gostei muito!! Que teto maravilhoso, as batalhas do nosso coração são as mais difíceis e nem sempre conseguimos vencer; devemos aprender a lidar com a derrota e tirar de experiência o que nos ocorreu.
    Tenha uma ótima semana!!

    ResponderExcluir
  10. A vida é feita de ciclos e cada ciclo tem a sua batalha. As mais árduas são aquelas que acontecem aqui dentro de nós. Viver requer coragem. Adorei! Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!

      Doses de coragem para nós!

      Beijos! =)

      Excluir
  11. OI NADINE!
    AS BATALHAS QUE TRAVAMOS CONOSCO, NAS QUAIS NÃO HÁ VENCEDOR NEM VENCIDO.
    BELO TEXTO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogsp r/ot.com.b

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zilani!

      Muito obrigada pelas reflexões!
      Beijos! =)

      Excluir
  12. Lindo poema!
    São tantas batalhas que travamos ao longo de nossas vidas...e vc colocou isso no papel de uma forma tão linda!

    Parabéns.
    Beijos, Bá.
    http://cafecomlivrosblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

... Falta a sua pitada!...