quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Da cigana em meus dias

O coração encanta,
em mantra ao sol,
somos sós,
somos sóis...
Sem saber a ordem,
no palpite não dito,
a desordem dos dias
fica a critério...
Pitadas de arco-íris,
luzes que sacodem,
arde o que já abrasa,
íris que oscila
olhar a vida remota...
Flor lilás que purifica,
a insensatez das horas,
a solidez da queda,
o andar cansado,
a música que não toca...
Lições das dúvidas,
energias da derrota,
cantos dos pássaros
- nota ao perdão...
Pelo deserto,
ser chuva,
ser o oculto a luzir,
o símbolo a significar,
fortaleza (ser)...
Fitas coloridas,
maçãs e cravos
desenham a pele,
segura a lua crescente...
E o coração canta
uma oração ao som do flamenco...


Para escutar:




18 comentários:

  1. Poesia e música muito lindas! Ótimo restinho de semana,bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!

      Muito obrigada!
      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  2. Do que nos traz ao que nos enterra, por qualquer paz somos sempre guerra.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gugu!

      Sim, somos e estamos.

      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  3. Que a fortaleza seja logo, sem demora!
    Um cheiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carlos!
      Muito obrigada!

      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  4. O poema é magnífico, gostei muito.
    Tal como da canção, que não conhecia.
    Bom fim de semana, amiga Nadine.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jaime!

      Muito obrigada!
      Agradeço o doce olhar!

      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  5. Poesia linda e música que prende com muita doçura.
    Gostei.


    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, SOL!

      Muito obrigada!
      Grata pela presença solar!

      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  6. Os mistérios da cigana...
    Seriam um algo até interessante.
    Mas Deus criou a mulher e, com ela, a alma feminina e seu pensar.
    Ah... Cigana, por favor, poderias lê-a para mim? Não. Não a mão. A alma, por favor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexandre!

      A mulher e a cigana são uma moeda de única face... Sua alma é sentida, nunca lida... Não lidamos com cartas, mas um jogo aberto em que todos ganham (ou perdem?)...
      Muito obrigada pela poesia espalhada cá!

      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  7. Boa escolha amiga Nadine,
    essa canção gostei de ouvir
    se é que a cantar se define,
    o que se deseja fazer a seguir?

    Tenha um bom dia de domingo, um beijo,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Edu!
      Fico feliz que tenhas gostado!
      Não sei o que fazer, não sei como seguir... Precisarei rever meu mapa!

      Beijos! =)
      Boa semana!

      Excluir
  8. Esse universo cigano é muito inspirador. Sempre me chamou muita atenção. E a tua poesia? Incrível. Parece que foi um passeio por esse (uni)verso.

    Uma ótima semana.
    Beijinhos estalados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!

      Ah, que bom! Também acredito nessa inspiração!

      Muito obrigada!
      Boa semana!
      Beijos! =)

      Excluir
  9. Oi Nadine
    Você tem que ser escritora
    Mama mia, como escreve bem
    Gostei do vídeo
    Agora vou dançar na cama
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!

      Nhá, sua linda!
      Muito obrigada pelo carinho, sempre!

      Beijos! =)

      Excluir

... Falta a sua pitada!...