sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Curta o curto XXXVII

Ele estende as mãos, braços e sorrisos...
Ele ama, acalma, escuta todo mundo...
TODO MUNDO... o mundo todo... o tempo todo...
O todo do mundo cabe em seu peito...
Mas custava, para variar, eu não me sentir TODO MUNDO -
- Ser só, mas não SÓ... seu mundo!

12 comentários:

  1. É, às vezes, o todo mundo exclui nós... Exclui quem somos. Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh... ganhei uma pitada do poeta-questionador mais ativo que conheço ;)

      Beijos =)

      Excluir
  2. ... lá se foi o ego dissolvido no Todo do mundo...

    Ai, ai. Como eu queria acabar com o meu, rs!

    Bjs, Nadine! Bom final de semana procê!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha... nem me fale!...

      Beijos... bom fim de semana =)

      Excluir
  3. Fantástico. Como pode em tão pouca linha... Caber a coisa toda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fantástica é a sua caricatura, rs.
      A coisa toda pode ser embrulhada para presente... eu acho...

      Só tenho certeza de algo: fiquei feliz com a visita ;)

      Beijos =)

      Excluir
  4. "Se não estiver dentro de tudo, é nada".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... E às vezes o nada é o tudo que se tem...

      Excluir
  5. Ser tudo para nao ser nada...
    ter para nao perder...

    bjs insanos da Insana

    ResponderExcluir

... Falta a sua pitada!...