segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Soneto Unigato

(Foto retirada do Adobe Stock)


 
Retirar em si mesmo a inspiração,
Tua verdade, o poder de ler mentes!
- E ser, depois d’algum miado, canção,
Notas guiadas que são clarividentes!...

E da yoga, que venha a meditação,
Enquanto ensina e escuta aos clientes,
Ronrona nas pausas, desenha a ação
- Mediará a própria vida complacente.

Então fico pensativa: ele existe?
Sei que com ele não há ser triste
Qualquer que pereça d’algum tédio.

Risadas e livros brotam d’ alma,
E o felino mágico nos acalma
- Deve ser esse o teu mais doce remédio?

5 comentários:

  1. Fez-me pensar em The Cure... "Fires outside in the sky look as perfect as cats"...
    GK

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo seu magnífico soneto, Nadine. É, somente, excelente -rs.
    Linda inspiração felina, que tanto nos acalma.

    Beijos e um mega abraço.

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nada acerca de gatos com tanta qualidade e inspiração. Parabéns pela excelência deste soneto, gostei imenso.
    Nadine, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nadine adorei seu poema, e com certeza esses bichanos nos acalmam.
    Tive um pouco de dificuldade para acessar teu blog porque cada vez que tentava sou redirecionada a outro site.
    r. Com certeza acho que fazia um bom tempo que não passeavas pela casa. Todo o dia primeiro de cada mês tenho posts novos mas podes visitar quando quiser e puder ok?
    Bom começo de mês.
    PAZ E BEM.
    janicce.

    ResponderExcluir
  5. Terno e lindo soneto.
    Os animais são uma companhia preciosa.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir

... Falta a sua pitada!...