sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Canção da chuva mal-criada

(Imagem retirada do Google)

A chuva choveu,
molhou meu amor.
Nem beijo me deu
fez-me um favor...

Disse-me: molhas também,
afastas que é melhor.
Pensei: abraça-me meu bem,
saudade com poréns, tenhai dó!

... E a chuva cessou,
deu saltos o tempo.
Meu amor não secou
e a saudade: nublado firma/mento.

A chuva choveu com custódia,
pingaram canções de nostalgia.
Entoou sem prosódia,
virou o não-feito e o-que-faria.