sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Bate pê

(Flaviele Leite e suas fotos que falam)
Porta bate;
Bate parapeito;
Palmas batem;
Batem-se pregos;
Paixão batida;
Bateu peito!...


ALMANAQUE (CHICO BUARQUE)

Ó menina vai ver nesse almanaque
como é que isso tudo começou
Diz quem é que marcava o tic-tac
e a ampulheta do tempo disparou
Se mamava se sabe lá em que teta
o primeiro bezerro que berrou
Me diz, me diz, me responde por favor
Pra onde vai o meu amor
Quando o amor acaba

(...)
Vê se tem no almanaque, essa menina,
Como é que termina um grande amor
Me diz, me diz... Um grande amor
Se adianta tomar uma aspirina
Ou se bate na quina aquela dor
Me diz, me diz
Me diz... Aquela dor
Se é chover o ano inteiro chuva fina
Ou se é como cair do elevador
Me responde por favor
Pra que que tudo começou
Quando tudo acaba.

7 comentários:

  1. Tudo perfeito, Nadine querida!
    O conjunto muito bonito: a lindíssima foto( como fala!), os versos feitos do verbo bater( tão lindamente conjugado) e este Almanaque, que sempre me encantou...
    Assim, sim, a alma flutua...
    Beijo, amiga!

    ResponderExcluir
  2. estou "batendo" antes de entrar..ouviu as palmas?..rs

    Adorei seu blog :D

    beijos cintilantes

    ResponderExcluir
  3. Zélia:

    Ah, doce amiga!...
    Seus comentários sempre me alegram! Mais ainda saber que me lê!!!
    Beijos =)

    Renata:
    Obrigada!
    Não precisa bater ;)
    Beijos =)

    ResponderExcluir
  4. Ah, apesar dos pesares, bater o coração continua a bater sim.

    Bate em mim.
    E como dói...

    Poética percussão a dos seus versos. Bjs, querida. E inté!

    ResponderExcluir
  5. Vanessa:
    Sim... a queda é tão certa quanto a batida!...

    Francisco:
    Aaaaaaa... muito feliz! Ganhei um brincar de palavras que apenas você sabe!...

    Ju:
    Beijo grande!...
    Obrigada =)

    ResponderExcluir

... Falta a sua pitada!...